Caminhão movido a GNV é lançado em Sorocaba

O primeiro caminhão movido a gás natural veicular (GNV) para aplicação em coleta de lixo no Brasil, desenvolvido pela Iveco, foi apresentado na manhã desta quinta-feira (25), durante um workshop sobre impacto ambiental na substituição de combustível automotivo pelo GNV, no auditório da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (FACENS). O evento foi promovido pela Gás Natural Fenosa, concessionária distribuidora para a região sul do Estado, e principal parceira do projeto. Entre as principais vantagens do veículo movido a GNV em relação ao caminhão a diesel estão a redução das poluições ambientais e sonoras, além da diminuição no abastecimento diário.

Segundo o chefe de serviços de grande consumo e soluções de mobilidade da Gás Natural Fenosa, Danilo Tonus Kostenko, o lançamento do primeiro caminhão movido a gás natural veicular faz parque de um projeto de pesquisa e desenvolvimento, que é uma linha de responsabilidade social das concessionárias de GNV do Estado perante o governo e a sociedade. “O objetivo dessa linha de pesquisa é aplicar tecnologias com a utilização do GNV de tal forma que seja revertido em benefícios para a sociedade”.

Kostenko explica que a apresentação do projeto do caminhão de coleta de lixo movido a GNV é demonstrar que a tecnologia já existe e é mundialmente aplicada e também está disponível no Brasil. “As principais vantagens do caminhão movido a GNV em relação ao movido a diesel são as reduções das poluições ambientais e sonoras, além da diminuição no consumo diário de abastecimento dos veículos”.

De acordo com Kostenko, o caminhão da coleta de lixo é extremamente necessário para a sociedade, pois geramos lixo e ele precisa ser coletado. “Quando o motorista aciona o motor do caminhão a diesel para compactar o lixo, ele está gerando poluição ambiental com a queima do diesel e também a sonora, com o barulho mais alto do giro do motor. Já o caminhão movido a GNV tem o mesmo índice sonoro de um carro comum e a queima do GNV é bem menos poluente do que o óleo diesel, gerando menos poluição ambiental”.

O representante da Gás Natural Fenosa disse ainda que em relação ao custo de aquisição dos caminhões movidos a GNV são cerca de 20% maiores na comparação dos veículos a diesel. “Porém, o custo operacional, que é o mais relevante, o abastecimento diário tem redução de consumo de 25% a 30%, o que gera um ganho econômico na operação, refletindo numa taxa de coleta de lixo mais atrativa, além de gerar mais arrecadação e tributos para o município”, alega.

Deixe uma resposta